12 julho 2013

2

Não, ele (ela) não vai mudar depois do casamento!

Quem nunca ouviu: “depois que casar isso passa”? ou “depois do casamento ele (ela) muda”?  Pois é, essas idéias são muito comuns na cabeça de muitos casais de namorados e até noivos.  Dia desses, marido e eu saímos com um casal de amigos. No meio da diversão, não me lembro ao certo o que aconteceu, a menina teve uma atitude muito natural, coisa que eu e Jonathan vimos que faz parte da personalidade dela, e o namorado ficou super bravo e soltou:  “Depois que a gente casar você vai ter que entrar na linha!” ... Oi!!?? Como assim!!?? Entrar na linha!? Que linha!?? Conseguem enxergar um problema aí???

Foto: InMagine Free/ Divulgação

Os problemas do namoro serão os problemas do casamento

Sim, os problemas do namoro serão os problemas do casamento acrescidos de mais alguns outros que vêm com a vida a dois (mas isso é assunto para um outro post!). Se a pessoa com que você está namorando é extremamente ciumenta, ela vai continuar sendo ciumenta depois de casar. Não adianta vir com o papo de que “com a segurança do casamento o ciume vai diminuir”. Não! Não vai!!!  Isso vale para todas as outras coisas também: arrogância, mentira, infidelidade, falta de companheirismo etc... Não vai mudar nada com o casamento! A única coisa que muda depois do casamento é o seu estado civil!

Pense bem antes de dizer: SIM


Se casar não é brincar de casinha! É coisa séria! Não devemos entrar num casamento com a ideia de que “se não de certo, tudo bem, a gente se divorcia”. Não é bem assim, o buraco é mais em baixo (mas, vamos deixar o assunto divórcio para outro post). Quando você decide se casar com uma pessoa você assume públicamente, para a sociedade e para suas famílias, que você quer passar o resto de sua vida com ela, e é isso que você deve ter em mente! Imagine passar o resto da sua vida com uma pessoa extremamente ciumenta! Vai ser assim no casamento! E pode piorar, com a pessoa tendo ciúmes até dos filhos, cachorro, trabalho etc. Ou talvez, passa a vida com alguém em quem não dá pra confiar, um mentiroso. Você gostaria disso!!??

Até aqui estou falando de coisas bem ruins, mas eu já ouvi comentários de pessoas que queriam mudar em seus namorados(as) ou noivos(as) a forma de falar, de vestir, o comportamento mais extrovertido, ou introvertido, a paixão por games, ou carros ou qualquer outra coisa... Veja bem, agora passamos para um outro nível de problema, o ser humano que mudar a personalidade do outro (!!!). Meu amigo, se você não suporta a forma com que sua namorada se veste, pense bem antes de dizer: sim. Minha amiga, se você não suporta que seu namorado jogue futebol com os amigos, pense bem antes de dizer: sim.    

Conheça bem a pessoa com que vai casar


O namoro é uma etapa super importante para o casamento (veja o post “O que significa namorar?”). É o momento de os dois se conhecerem, aprenderem a se amar e decidirem (ou não) se casar. Sendo assim, aproveite a fase de namoro. Não se apresse para casar,  para não se surpreender (ou arrepender) depois.

Casamento não é lugar nem tempo para surpresas sobre a outra pessoa (Casamento blindado)
 
Duas coisas são muito verdadeiras (e óbvias!): 1 - ninguém é perfeito; 2 - ninguém é [exatamente] igual a ninguém. Então, você nunca vai encontrar algum que te agrade 100%. Sempre vão haver motivos para discordâncias e desavenças. O importante aqui é que tudo isso seja conhecido no namoro, que ambos vão para o casamento sabendo os defeitos um do outro e, principalmente, tendo ciência de que NÃO VÃO CONSEGUIR MUDÁ-LOS. A questão aqui é: “vou conseguir suportá-los?

Pondere os pontos positivos e negativos


Antes de eu me casar com o Jonatham, enquanto ainda estávamos noivos, em um período em que eu estava cheia de inseguranças (o que é normal) minha mãe me deu um conselho muito valioso. Ela me disse: “Filha, ninguém é perfeito, o príncipe encantando não existe! (essa doeu!). Olhe para seu noivo e avalie todas as suas qualidades, todos os seus defeitos e pondere. Se ele tiver mais qualidades do que defeitos e se você conseguir suportar os defeitos dele, se case e seja feliz”  Essas palavras fizeram toda a diferença pra mim, e hoje eu compartilho elas com você.

Já dizia o ditado, que “Deus dá a cada um o fardo que pode suportar”. As vezes as coisas que eu suporto no Jonathan, você não suportaria. Mas é aí que está a questão, quem tem que suportar é VOCÊ e aprender a conviver com os defeitos e qualidades do companheiro.

No exemplo do rapaz que adora jogar futebol, se isso te incomoda tanto que você não consegue aceitar esse comportamento nele, não case! Se ele parar de jogar futebol para te fazer feliz, ele vai ficar infeliz, e isso não é legal! A infelicidade dele em relação a isso pode trazer inúmeras consequências negativas para o relacionamento. O mesmo em relação as roupas da menina.

Concluindo


Vou concluindo com esse trecho do livro Casamento blindado:

Amar não é sentir. Amar é conhecer a outra pessoa, admirar o que você conhece dela e olhar seus defeitos positivamente.

Se você já está casado, saiba que ninguém tem o direito de obrigar ninguém a mudar, e nem poder para isso. Nós somente temos a capacidade de mudar a nós mesmos. Talvez passar a olhar a situação com outros olhos, entender o outro, e ceder um pouco também. Neste sentido, aconselho aos interessado que leiam o livro Casamento blindado, incluindo aqueles que ainda estão pensando em se casar.

Se você ainda está namorando, saiba que tem nas mãos a capacidade de decidir se quer ou não passar a vida suportando tal situação. Se vocês está infeliz no namoro, será infeliz no casamento. Pense bem!

O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. 1 Coríntios 13 (4-7)

2 comentários:

  1. Oii eu achei muito interessante seu post , parabéns!

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós. Opine, critique, discorde e debata, mas, sempre com educação e respeito.

Receba nossas postagens por e-mail: